Irresponsabilidade da prefeitura deixa escolas sem telefones e sem condições mínimas de funcionamento

Esta semana começou nas escolas com mais um problema causado pela má gestão da prefeitura: por problemas de pagamento, os telefones de diversas unidades foram cortados. A situação é inaceitável: professores e direção não tem como se comunicar com mães e pais - nem em caso de urgências - nem com outros órgãos. Trata-se de mais um demonstrativo do descaso do prefeito Gean Loureiro (PMDB) com o serviço público, deixando-o cada vez mais sem condições, prejudicando seu funcionamento, o trabalho dos servidores e o atendimento da população!

A falta de materiais e condições mínimas para trabalho e atendimento no serviço público não é acaso. Precarizar e inviabilizar o serviço público enquanto mandam dinheiro para empresas privadas são estratégias manjadas dos políticos que servem aos ricos, querendo entregar tudo ao privado e acabar com o público, não ligando para os efeitos nefastos que isto vai gerar sobre a população. Assim, é necessário denunciar e combater todas as formas de precarização do serviço público, garantindo que as verbas sejam bem utilizadas e que os interesses da população sejam protegidos! Dinheiro público é para o serviço público!

Memória Sintrasem

Há não tanto tempo, trabalhadores da Comcap precisavam se instalar em barracões com condições extremamente precárias como o desta foto. Muitas lutas foram necessárias para que a Comcap contasse com os módulos de limpeza tais como existem hoje. Apenas com luta se conquista vitórias!

Escolas estaduais no centro de Florianópolis na mira da privataria

O projeto nacional e local de precarização do serviço público segue a toda. Nesta quinta-feira (22/6) foi realizada audiência pública na Câmara de Vereadores para discutir sobre fechamento de turmas noturnas no Ensino Médio da rede estadual na região central de Florianópolis. A diminuição de turmas e unidades de ensinos estão diretamente ligadas as políticas de cortes no serviço público, estimuladas  e ampliadas agora pela EC 95 (antiga PEC 55: congelamento dos gastos públicos por 20 anos), proposta e aprovada por Michel Temer (PMDB).

Nos últimos dez anos diversas unidades de educação pública do estado estão sendo fechadas. Escola de Educação Básica Otília Cruz, fechada em 2017; Escola de Educação Básica Antonieta de Barros, fechada em 2008; Escola de Educação Básica Daysi Werner Salles, fechada em 2009; Escola de Educação Básica Celso Ramos, fechada em 2010 e a Escola de Educação Básica Daysi Werner Salles, fechada em 2014.

Orientação do Sintrasem

Orientamos os/as servidores(as) que receberam a notificação do IPREF com a cobrança das contribuições previdenciárias durante licença sem vencimento a agendar um horário com o jurídico do Sintrasem pelo telefone 3024-9866.
Para ingressar com a ação judicial, no dia agendado com o advogado o servidor(a) deverá levar os seguintes documentos:

Confetam repudia violência contra servidores de Curitiba

Nota original no site da Confetam

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) repudia a violência da Polícia do governador do Paraná, Beto Richa, contra os servidores municipais de Curitiba, agredidos nesta terça-feira (20), na Câmara Municipal, quando pressionavam legitimamente os vereadores pela retirada da pauta do Legislativo de um conjunto de projetos de lei do prefeito Rafael Greca que retira direitos da categoria e dos moradores da cidade.

Todo apoio aos trabalhadores do município de Curitiba!

Os ataques contra os trabalhadores estão em todas as regiões do país e não param: a bola da vez é Curitiba, onde o prefeito Rafael Greca (PMN) está tentando aprovar um pacote de maldades na Câmara Municipal, com apoio da brutal repressão da Polícia Militar comandada pelo governador Beto Richa (PSDB). Em Floripa, servidores municipais passaram por situação parecida, com o pacote de maldades do prefeito Gean Loureiro (PMDB) na CMF e muita truculência por parte da PM e da Guarda Municipal para impedir que o povo tivesse acesso à casa que lhe pertence. Não é coincidência: Gean e Greca são duas das inúmeras faces da mesma moeda, a moeda de Temer e do Congresso, a moeda do projeto de país para os ricos, cortando direitos e atacando o público!

Por aqui, nossa união na luta e a mobilização durante os 38 dias de greve foi capaz de derrotar o prefeito e seus projetos; em Curitiba, os trabalhadores do Sismuc Sindicato e do Sismmac Sindicato resistem bravamente, com greve e muita mobilização. Todo o apoio aos trabalhadores do munícipio de Curitiba! Estamos todos juntos na luta contra os ataques dos políticos que servem à classe rica! Juntos somos muito fortes e podemos vencer! Nenhum direito a menos!

Sindicato esclarece sobre o imposto sindical da Secretaria da Saúde

Em março de 2017 a Secretaria de Saúde de Florianópolis efetuou descontos nos vencimentos dos seus servidores como imposto sindical. O Sindicato então emitiu as guias de repasse à Caixa Econômica Federal, que, conforme a CLT, é o primeiro destinatário do imposto sindical e deve distribuir os valores, endereçando 60% para o sindicato Sintrasem.

Educação pública sob ataque: Não a compra de vagas na Educação Infantil!

Está em tramitação na Câmara Municipal de Florianópolis (CMF) o projeto de lei n. 16.998/17 proposto pelo vereador João Luiz da Silveira (PSC) que “institui a concessão de bolsas de estudo por permuta do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU, pela rede particular de ensino”.

Em linhas gerais o projeto prevê o oferecimento de vagas na educação infantil em estabelecimentos de ensino privados em troca da isenção do pagamento do IPTU dos mesmos para PMF. Quanto maior o número de vagas oferecidas, maior será a isenção, que terá como cálculo o custo aluno na rede pública (ainda que não expliquem sob que base farão esses cálculos).

Boletim PMF e Comcap 19 de junho

Para o dia 30 de junho está sendo organizada uma grande mobilização nacional com o objetivo de deter os projetos privatistas e de corte de direitos encabeçados pelo governo em Brasília e repetidos nos estados e cidades. Leia o boletim com mais informações sobre a Greve Geral e o final da data-base PMF.

 

Expediente do Sintrasem no feriado

Informamos que em virtude do feriado de Corpus Christi, nesta quinta (15/6) e sexta-feira (16/6), não haverá expediente no Sintrasem.

Na sexta, decretada como ponto facultativo, as diretoras Claudia Maidana e Fabiana Paiva estarão atendendo telefonemas em plantão.

Contatos:

Claudia Maidana (PMF) 99923-9181

Fabiana Paiva (Comcap) 99934-8111

AGENDA

quarta-feira, Julho 5, 2017 - 08:30
Local: Auditório Rosa Luxemburgo - Sede do Sintrasem (R. Fernando Machado, 203)
Informes; Formação: Reforma da Educação: Combate a privatização; Desdobramento do Acordo Coletivo de Trabalho 2017; Encaminhamentos.

sexta-feira, Junho 30, 2017 - 13:00
Local: Praça Tancredo Neves
Pauta: Informes, aprovação das comissões do acordo data-base 2017, formação política sobre as reformas que retiram direitos. | Contra as reformas e em defesa dos direitos, trabalhadores da PMF decidiram por adesão à greve geral, com paralisação de 24h!

sexta-feira, Junho 30, 2017 - 07:00
Local: Pátio do Limpú (com ônibus do centro e descentralizadas)
Pauta: Informes, análise de conjuntura, encaminhamentos: deliberação de greve geral.

Eleição Diretoria 2017

Pauta Data-Base PMF 2017

SINDICALIZE-SE!

Acordos coletivos de trabalho

PMF
COMCAP

Boletins Eletrônicos

Selecionar o(s) boletim(s) que você deseja assinar ou cancelar a assinatura.

                 

CUT